segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Dura Praxis Sed Praxis

Frequentei a Universidade de Coimbra com imenso orgulho. Adorei os anos que lá passei e sei que foram bem vividos. Quando fui para lá em 1996 ia verdadeiramente acagaçada com a praxe. Bolas, ia entrar no sítio onde a praxe era "a praxe". Preparei-me para tudo o que poderia acontecer e enfrentei o primeiro dia com coragem para aturar os Doutores. Não poderia estar mais enganada com o que aconteceu. Em primeiro lugar tive uma bela aula fantasma com o "assistente" da professora. Todos os alunos do curso estavam lá, a dizerem que aquilo era o cadeirão do curso. Ninguém conseguia fazer aquilo à primeira! Só no fim é que vi o que era aquilo.Depois, agarraram na caloirada toda e fomos para o Pinto (tasca). Não houve pinturas de cara, cânticos ou outras coisas. Só conversa e explicações de como as coisas funcionavam. Foi um impacto que durou todo o curso. Senti-me verdadeiramente recebida e acabei por replicar o mesmo exemplo. Fiz praticamente tudo: fui apanhada "fora de horas" pela trupe de arqueologia; jantei sem talheres no 1º jantar de curso (acho que foi a coisa mais manhosa que fiz); desfilei na latada com a minha madrinha;  fui baptizada no Mondego com um penico e trinquei muito nabo e muita cenoura; tracei a capa na minha primeira serenata monumental; tive afilhada no primeiro ano; o meu grelo foi atado pelo Dux; praxei as caloiras lá de casa; participei numa trupe; roubei o nabo no mercado Pedro V; queimei o grelo; fiz carradas de flores de papel para o carro (ficamos em 3º e ganhamos 75 contos); desfilei de cartola; fui chefe de trupe e cheguei a veterana (fiquei 5 anos em vez de 4 para fazer cadeiras de opção e acabar o seminário, o trabalho final!)
Quando ouvia as histórias das praxes de outras universidade e politécnicos e dizia que em Coimbra não era nada assim. As pessoas ficavam com cara de incrédulas. Sim, não andei a rebolar no chão nem mandei ninguém fazer isso. Não andei a limpar e a lavar loiça de Doutores. Nunca me senti diminuída ou coagida a fazer uma coisa que não quisesse. Haviam muitos colegas do meu curso que eram anti-praxe e participavam em jantares de curso e nunca foram colocadas à margem. Não trajavam mas acompanhavam tudo o que se fazia. Talvez a única coisa mais puxadita que fiz foi organizar uma noitada com as caloiras de casa. Percorreram as cantinas, o bar da associação e acabaram a noite no DD em pijama. Ah, e fizeram uma declaração de amor a uns tropas que tiveram azar de passar por nós. Essas caloiras, são das minhas melhores amigas.
Sei que na maioria das vezes as coisas não são assim e sinceramente tenho pena que assim não seja. Senti-me acolhida e respeitada pelos meus colegas mais velhos.
Apesar de ter estado dentro do espírito académico não sou uma defensora acérrima da praxe. Tudo o que humilhe, tudo o que magoe, tudo o que faça mal deve ser erradicado. Se para tal for necessário acabar com a praxe, por mim, tudo bem. 
Não consigo deixar de pensar que a vida parece que me passa ao lado. 

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Tomar banho é uma trabalheira!

Há muitos blogs que abordam questões de beleza e dos produtos associados a essa beleza. Este blog nunca andou por esses caminhos. De vez enquanto lá coloco qualquer coisa sobre um produto que uso e gostei mas não tenho lá grande queda para esses assuntos. Uso aquilo que a esmagadora maioria da população usa. Compro as coisas em grande superfícies e, lá muito de vez enquanto, gasto mais uns euritos num creme ou numa base.
Hoje, enquanto tomava banho, comecei a pensar na quantidade de coisas que uso! Aqui vai a lista:
  1. Gel de banho Dove
  2. Champô Pantene 
  3. Condicionador Pantene
  4. Reparador de pontas Pantene
  5. Sabonete Pedra Pomes da Ach Brito (um achado para calcanhares secos)
  6. Óleo Jonhson  (durante o inverno é o que mais se adapta à minha pele seca e adoro o cheirinho)
  7. Desodorizante Dove Silk
  8. Creme para os pés Neutrogena
  9. Sérum liftactiv serum 10
  10. Creme hidratante Vichy Ideália 
  11. Batom para o cieiro Neutrogena
  12. Creme hidratante para as mãos Corine de Farme.
Ufa que a lista é completa!


domingo, 12 de janeiro de 2014

Gata Abandonada!

Ontem fiquei sozinha em casa! Coisa bem rara de acontecer mas quando acontece, aproveito cada minuto! Tirei o dia para grandes arrumações e para acabar com as pinturas de um móvel e de uma cadeira. Andava eu entretida quando oiço os meus cães numa grande algazarra no portão dos fundos. Fui ver o que se passava e quando la chego estava um gatinho pequenino e escanzelado a tentar esconder-se nuns paus que lá estão.  Como há uma colónia de gatos bravos perto, pensei que fosse um desses gatos, mas não era o caso. Este gato era manso e acabou por ser abocanhado pelo meu Pinhão. Foi quase um milagre ter conseguido tirar o gato dos dentes da minha fera! Lá o consegui fazer e salvei o desgraçado do gato. Agarrei no bicho, verifique que estava sem feridas e dei-lhe de comer. Metia pena a fome que o pobre animal tinha.  Comeu até ter vómitos! Fiz-lhe festas, embrulhei-o numa manta e fiquei a tomar conta. Fiz-lhe um cesto na casa de banho e lá ficou a dormi. E se ela, é uma menina, dormiu! Agora não temos ninguém que a receba! As associações estão cheias e não há mais espaço para mais animais. Mete raiva quem faz uma coisa destas. São desumanos e gentalha reles. A gata é muito mansa e habituada a mimos e à presença de pessoas. Deve ter passado muito tempo na rua, está um esqueleto e também está constipada. Agora trata-se dela e espera-se por uma família que mime.

Under the Tuscan Sun


É um romance, uma história impossível de acontecer mas faz-me sonhar!  E sonhar por vezes é tão bom!!!

sábado, 11 de janeiro de 2014

12 Anos Escravo



Um excelente filme que dá muito que pensar na antiga escravatura e na "nova" escravatura.

Neura

O dia de desmontar o presépio, árvore e todas as decorações de Natal trás-me sempre uma grande nostalgia. Chegou ao fim a minha época preferida e daí até ao verão é um pulinho.  

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A Batata

A minha cadela tem uma adoração canina (ah, ah, ah!!!!) pela minha mãe que se manifesta num comportamento sombra. Anda sempre atrás, seguindo-a por todo o lado e estaciona em cima dos pés dela (literalmente). É uma querida!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Limpezas de Ano Novo

Sou bastante lenta no que diz respeito a movimentos intestinais e, desde há muito tempo, que experimento todas as mezinhas que me dizem. Tive uma má experiência com uns comprimidos, por isso opto por coisas naturais. Eu comi ameixas secas, cereais integrais e toda uma série de porcarias. Por isso foi com cepticismo que experimentei uma nova coisa: sementes de linhaça.  Tenho comido uma colher de sobremesa de sementes misturadas no iogurte e tripa tem trabalhado com uma precisão um relógio suíço. Por isso posso dizer que o meu ano está a ser de limpeza! !!

sábado, 4 de janeiro de 2014

Túlipas



Tem corrido tudo muito bem. As quatro estão a despontar com bastante velocidade.

As coisas cá de casa (2)


Caixa de ferramentas do meu avô materno


Jarro da Vista Alegre da minha avó paterna


Caixa das cartas da minha mãe

Ainda os jantares de Natal

Ainda ando a despachar jantares jantares de natal que ficaram pendentes. A agenda andou preenchida e arranjar uma data era difícil,  por isso, optou-se por ontem. Foi um belo jantarccomuns primos,  à lareira e com conversa até às duas da matina. Foi a puta da loucura de galhofa e boa disposição. ADOREI